A simpaticectomia torácica, agora disponível na clínicacuf cascais, é o único tratamento definitivo para a hiperhidrose, uma doença que consiste num aumento exagerado e desnecessário da transpiração e que afeta as mãos, pés e axilas. Estima-se que cerca de um por cento da população sofre desta doença.
“Apesar de não se tratar de uma doença grave, quanto a risco de vida, trata-se de um problema que contribui para uma pior qualidade de vida dos doentes, levando inclusivamente a transtornos psicológicos e exclusão social. A forma mais comum da doença é a que afeta as palmas da mão e tem um impacto negativo na atividade profissional (trabalho com computadores, manipulação de documentos, atendimento ao público)”, explica Javier Gallego, cirurgião cardiotorácico da clínicacuf cascais.
A hiperhidrose pode ter como causa o hipertiroidismo, distúrbios psiquiátricos, menopausa ou obesidade. Os fatores que contribuem para desencadear a doença são o aumento da temperatura ambiente, o exercício, a febre, a ansiedade e a ingestão de comidas condimentadas.
“O tratamento para a hiperhidrose é realizado através de uma simpaticectomia torácica superior bilateral que é uma cirurgia simples realizada por toracoscopia, de forma minimamente invasiva, com a ablação do nervo simpático. A cirurgia é realizada no bloco operatório sob anestesia geral e tem a duração de 30 minutos. O doente tem um dia de internamento e pode voltar à sua atividade diária e profissional ao fim de 3-4 dias”, explica Javier Gallego.
As consultas de hiperhidrose são realizadas mensalmente na clínicacuf cascais. Para mais informações consulte: www.clinicacufcascais.pt

nota_de_imprensa_cuf_cascais.pdf